5 passos para lidar com um ex-namorado(a) ciumento

Os ciúmes podem marcar muito as relações amorosas e a verdade é que podem persistir mesmo quando uma relação entre duas pessoas chega ao fim. Seja porque a decisão de terminar o relacionamento não foi unânime, seja porque o seu ex não consegue aceitar o facto que tem um novo amor na sua vida, é importante saber lidar com um ex-namorado(a) ciumento.

O fim é mesmo o fim

Se terminar uma relação com uma pessoa que já é, em si, muito ciumenta, ou seja, demonstrou sempre muitos ciúmes durante o tempo em que estiveram juntos, é importante que o fim do relacionamento seja claro. A partir do momento em que coloca o ponto final na relação e não tem qualquer dúvida sobre essa decisão, a outra pessoa deve perceber que é o fim e que não há qualquer hipótese de reconciliação. Explique muito bem os motivos que levaram à tomada de decisão, seja 100% honesto, não responda a acusações, nem dê motivos para discussões. Proponha que cada um siga a sua vida e que sejam ambos muito felizes – este é um excelente momento para recomeçarem.

Comunicação cortada

O que sucede com muitas pessoas ciumentas no fim de um relacionamento é que não são capazes de largar em definitivo o seu parceiro(a). Um ex ciumento pode estar constantemente a telefonar, enviar mensagens, emails ou twitts ao outro elemento, o que torna a ideia de cada um virar um capítulo novo na sua vida, muito mais difícil. Se tiver um ex-namorado(a) ciumento que não aceita o fim da relação, terá de cortar toda e qualquer forma de comunicação que ainda mantém com essa pessoa. Por mais que custe, não atenda os seus telefonemas, não responda aos seus SMS, deixe de ser seu follower no Twitter, não seja seu amigo no Facebook. Este corte na linha de comunicação pode ser temporário, pode ser definitivo – o importante é que o faça. Só assim conseguirá passar a mensagem de que tudo acabou definitivamente e que não admite esta constante invasão de privacidade e cenas de ciúmes – dará ainda à outra pessoa alguns motivos para parar e refletir acerca daquilo que está a fazer.

Conversar frente-a-frente

Por vezes, a insistência e a perseguição – principalmente a presencial! – é tão forte que pode sentir a necessidade de conversar frente-a-frente com o seu ex-namorado(a), na tentativa de chamar-lhe à razão e fazê-lo perceber que os seus ciúmes estão não só a destabilizar o seu dia-a-dia, como não estão a permitir que essa pessoa siga a sua vida. Evite mencionar que também não está a conseguir andar para a frente (pode dar à outra pessoa uma esperança que na realidade não existe!): antes pelo contrário, diga-lhe que já seguiu em frente e que quer que ele/ela faça o mesmo, para o seu bem! Seja direto, claro e assertivo, sem nunca vacilar na sua posição – se ainda não o fez, este pode ser o momento ideal para comunicar à outra pessoa que será também colocado um ponto final em todas as formas de comunicação daqui para a frente. Se receia uma cena por parte do seu ex-namorado(a) ciumento, não combine este encontro num local público; por outro lado, se prefere não estar sozinho com ele/ela peça a um familiar ou amigo para estar em casa (de preferência noutra divisão) na hora da vossa conversa.

Encontros casuais

É natural que passado muito ou pouco tempo depois do fim do relacionamento, possa encontrar o seu ex, principalmente se têm o mesmo círculo de amigos, trabalham na mesma empresa ou frequentam os mesmos locais. Por mais constrangedores que estes encontros possam ser, recomenda-se que seja o mais cordial possível – cumprimente o seu ex e as pessoas com quem estiver se for o caso, apresente a sua companhia (sim, mesmo que seja um novo amor!). O pior que pode acontecer é a outra pessoa não responder aos seus cumprimentos, o que apenas irá fazer com que essa pessoa “fique mal na fotografia”. Seja civilizado, seja superior. Se houver uma cena de ciúmes, vire costas e retire-se do local o mais rapidamente possível – não entre em discussões, afinal de contas, vocês já nem são um casal. Nem todas as pessoas conseguem ser amigos após o fim de uma relação, mas pelo menos tentou.

Ação legal

Todos sabemos que existem pessoas que podem levar os seus ciúmes a um extremo, provocando medo e apreensão no seu ex-companheiro. Se sentir que esse é o seu caso, ou seja, se já tentou tudo e, mesmo assim, o seu ex continua a persegui-lo com os seus ciúmes e/ou sente que possa estar em perigo, deve procurar ajuda. A não ser que seja uma emergência, converse primeiramente com um advogado antes de envolver a polícia. Uma carta de um advogado pode ser exatamente o que a pessoa precisa para, pelo menos, tentar controlar os seus ciúmes.  

A sua votação: